Até o dia 1º de janeiro de 2020 todas as salas de grande porte de cinema no Brasil deverão estar equipadas com ferramentas de acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva, beneficiando um público-alvo estimado, segundo dados do IBGE, em torno de 10 milhões. O que muitas pessoas com deficiência ainda não sabem é que já é possível ir ao cinema e ter assegurado, com igualdade de condições, o que prevê a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, sancionada em 2015.

Isso porque a acessibilidade já vem sendo colocada em prática com a legenda descritiva na tela e o uso de equipamentos adequados: no caso das pessoas com deficiência auditiva, o equipamento possui uma tela pela qual é transmitida a tradução em LIBRAS do filme; e para as pessoas com deficiência visual, por meio de fones de ouvido é possível o usuário ouvir a audiodescrição do filme.

Pensando em reforçar os direitos previstos em lei e divulgar a tecnologia existente em Curitiba, ocorrerá uma sessão gratuita do filme O Rei Leão (dublado em 2D), no dia 24 de agosto (sábado), no Cineplus Jardim das Américas (Av. Nossa Sra. de Lourdes, 63), a qual estão sendo esperados mais de 70 pessoas com deficiência (convites já distribuídos). A ação denominada Cinema sem Barreiras é uma iniciativa conjunta entre a Riole, empresa fabricante da tecnologia assistiva; o Cineplus Jardim das Américas; o departamento dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Curitiba; a gerência executiva de Educação da Fiep; a Vias Abertas Comunicação, Cultura e Inclusão; e a Tic Tag Comunicação & Educação Acessíveis.

Para os organizadores da sessão gratuita, esta conquista merece ser comemorada e mais ainda divulgada para que o público-alvo possa ter uma manhã com entretenimento e possa conhecer a tecnologia desenvolvida especialmente para ele. Estão entre os beneficiados da ação, do dia 24, usuários de instituições especializadas, assim como alunos de instituições de ensino do sistema Fiep, na região de Curitiba, Araucária e Campo Largo.

O Paraná é protagonista e precursor, no Brasil, no desenvolvimento da tecnologia, assim como na promoção do entretenimento ao público beneficiado. Isso porque a Riole, desenvolvedora do equipamento já disponível em várias salas de cinema do Brasil, tem a sua sede em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, e enquanto que o Cineplus do Shopping Jardim das Américas, localizada em Curitiba, foi a primeira sala de cinema do Brasil a adotar os equipamentos de acessibilidade.

Para a diretora da Riole, Cristiane Moro, a empresa começou a produzir o equipamento usado no cinema, de olho na legislação, assim como ao detectar a ausência de tecnologia voltada para o entretenimento cultural para esse público. “Por traz desta iniciativa, foram necessárias muitas pesquisas para o desenvolvimento dos equipamentos, que é brasileiro e totalmente projetado por nós”, disse a diretora.

Também se orgulha em ser pioneiro a oferecer a acessibilidade nas salas de cinema, o Cineplus Jardim das Américas. Para a sócia Marina Pastre, é um orgulho fazer parte deste projeto. “É uma emoção ver as pessoas com necessidades especiais serem agora incluídas nas salas de cinema, uma vez que antes não podiam acompanhar a família neste tipo de lazer”. Ela explica, que o acesso à tecnologia é individual e deve ser solicitado pelo cliente logo na bilheteria, na compra do ingresso.