Com apenas uma semana de lançamento, o primeiro disco da Supervão, que antes lançou os EPs Lua Degradê (2016) e TMJNT (2017), já arrancou ótimas críticas da mídia especializada. Nesse ritmo, Mario Arruda (vocalista e programação eletrônica), Leonardo Serafini (guitarra e sintetizador) e Ricardo Giacomoni (contrabaixo e guitarra) se preparam para os shows da turnê de lançamento que passa por Curitiba, dia 09 de agosto, sexta-feira, com entrada gratuita no Raposa Clube Recreativo, a partir das 22h30.

Viabilizado pelo edital da Natura Musical junto à Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, além do selo HoneyBomb Records, o disco mistura elementos orgânicos e digitais e dá força ao conceito de psicodelia e pista que a banda celebra nos shows. 

A identidade visual do projeto traz elementos gráficos, que remetem à estética vaporwave e glitch, além de bastante saturação e um flerte com o lo-fi e a alta definição, ao mesmo tempo. Assim como as letras e a sonoridade, a Supervão não escolhe apenas uma direção. Tudo se choca na tentativa de ser complementar, como uma enorme colagem.

O disco foi gravado em um home estúdio na casa de Mario Arruda, em São Leopoldo, que também foi quem fez o trabalho de mixagem. Apesar de ser um ambiente caseiro, o estúdio traz alguns recursos profissionais, uma vez que, tudo o que ganharam com a banda, foi investido em equipamentos. “A ideia era que o disco mantivesse esse fazer Do it Yourself, que tem se tornado característica no cenário brasileiro. Mas para que se alcance uma estética melhor acabada, buscamos fazer a masterização com o Felipe Tichauer, RedTraxx. O objetivo da montagem dessa lógica de produção foi desenvolver uma estética que dialoga com o que mais gostamos nas bandas gringas, e também com as plásticas que ficaram conhecidas em discos e filmes brasileiros. Buscamos uma sonoridade que, em seu ideal, seria como um filme de Glauber Rocha com som remasterizado em um stereo 5.1”

Faz Party

Faz Party foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2018 com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura Pró-Cultura RS por meio da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. “O Natura Musical foi criado para valorizar a diversidade e identidade da música brasileira, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “Desde 2014, o edital já ofereceu recursos para 23 projetos no Rio Grande do Sul, como Dingo Bells, CCOMA, Yangos, Musa Híbrida e, agora, o Supervão”, completa.

Ouça abaixo, Faz Party.