Apoiador do Snyder Cut de Liga da Justiça desde o surgimento da campanha online, Ray Fisher, o Cyborg do DCEU, retirou um elogio feito a Joss Whedon durante a San Diego Comic-Con antes da estreia do longa de 2017. Pelo Twitter, o ator postou um clipe de um painel em que diz que o cineasta era um “grande cara e Zack escolheu uma pessoa boa para vir e terminar o serviço” – veja abaixo:

Eu gostaria de usar esse momento para me retratar de cada pedaço deste momento

Fisher tem diversas razões para guardar mágoas de Whedon. Enquanto Zack Snyder sempre defendeu que o Cyborg seria o coração de Liga da Justiça em sua versão, o personagem foi deixado de lado no corte que foi lançado nos cinemas. Embora tenha aparecido muito brevemente em Batman v Superman (2016), o filme da Liga seria o primeiro grande trabalho do ator na indústria. O longa acabou mal recebido por crítica e público e praticamente enterrou a possibilidade de um filme solo do Cyborg.

Vale relembrar que, por causa do suicídio de sua filha, Zack Snyder abandonou Liga da Justiça em 2016. Joss Whedon assumiu as filmagens depois da saída, mas a reação negativa em torno do filme estimulou os rumores em torno da versão original do longa, já que muito material planejado pelo cineasta não entrou na versão final, além do tom ser inconsistente. O filme foi lançado em novembro de 2017 e arrecadou cerca de US$ 657 milhões no mundo, enquanto esteve em cartaz.

Desde então surgiu a campanha Release The Snyder Cut, que pedia pela mitológica versão do diretor. Não só o público mais fiel apoiou, mas também os atores, como Gal Gadot (Mulher-Maravilha) e Jason Momoa (Aquaman). Após muito tempo, a Warner confirmou o lançamento do SnyderCut para 2021 no HBO Max, streaming do grupo Time Warner.