O 62º Grammy aconteceu neste domingo (26), no taples Center, a casa do Los Angeles Lakers, com vários momentos emocionantes. Logo no início, o evento homenageou Kobe Bryant, jogador de basquete que morreu poucas horas antes, aos 41 anos, em um acidente de helicóptero nos Estados Unidos.

Lizzo dedicou sua apresentação ao atleta e afirmou que “a noite foi para ele” antes de cantar as músicas ‘Cruz I Love You’ e ‘Truth Hurts’. Quem também não deixou de lembrar de Kobe foi Alicia Keys. A cantora citou a filha dele, Ginna, que também morreu no acidente.

“Estamos juntos na maior noite da música, mas sendo honesta estamos sentindo uma tristeza profunda. Hoje mais cedo, o mundo inteiro perdeu um herói. Estamos aqui, de coração partido, na casa que Kobe Bryant construiu. Kobe, sua filha Ginna, e todos que se foram hoje estão em nossos corações e nossas preces. Quero pedir a todos que pensem em um momento e os segurem dentro de vocês, compartilhem sua força e apoio com suas famílias. Nunca imaginamos começar o programa assim”, desabafou ela.

Furacão do Grammy

Billie Eilish foi a favorita do Grammy 2020. Com apenas 18 anos, a artista levou cinco prêmios dos seis para qual foi indicada -, incluindo todos os principais, “Gravação do Ano”, “Álbum do Ano”, “Música do Ano”, e “Artista Revelação”, pelo single “bad guy” e o disco “When We All Fall Asleep, Where Do We Go?”. Com isso, a jovem se tornou a primeira mulher da história a levar as principais categorias da premiação em uma única noite.

“Tantos outros artistas merecem isso”, disse Billie Eilish, ao lado do irmão, Finneas O’Connell, produtor do disco e que mais cedo havia ganhado o Grammy de produtor do ano. “Desculpem, nunca pensei que isso fosse acontecer na minha vida. Cresci assistindo a todos eles.”

Beth Carvalho e João Gilberto  

Lendas da música brasileira mortas em 2019, Beth Carvalho e João Gilberto foram os brasileiros lembrados no momento “In memoriam”, em que o Grammy relembra astros que nos deixaram no ano anterior.

A big band Preservation Hall Jazz Band e o trombonista Trombone Shorty foram os encarregados pela trilha de fundo da homenagem póstuma. Mas, quando a imagem de João Gilberto surgiu no telão, um trecho de “Desafinado”, canção de Tom Jobim e Newton Mendonça eternizada pela lenda da bossa nova, foi reproduzido no Staples Center.

Considerado pai do mais internacional gênero brasileiro, João Gilberto morreu em julho passado, aos 88 anos.

Já a madrinha do samba, Beth Carvalho, morreu em abril, aos 72 anos. Segundo o Hospital Pró-Cardíaco, ela morreu “em decorrência de infecção generalizada (sepse)”.

Demi Lovato está de volta

Photo by Kevin Winter/Getty Images

Como em toda premiação, o Grammy 2020 não foi marcado apenas pelo luto. Após mais de  um ano longe dos palcos, Demi Lovato emocionou o público com uma apresentação. A cantora lançou a música ‘Anyone’, que escreveu antes de ter uma overdose. Durante sua apresentação, Demi não conseguiu segurar as lágrimas e precisou voltar a cantar a música do início para seguir a cerimônia.

Prince, ídolo morto em 2016, ganhou um tributo liderado por Usher, passando por versões de sucessos como “Little red Corvette” e “Kiss”. O cantor foi acompanhado de FKA Twigs, que mostrou toda sua habilidade no pole dance, e de Sheila E.

Camila Cabello fez uma emocionante performance de “First man”, com homenagem no telão ao pai, Alejandro, que não conseguiu conter algumas lágrimas na plateia.

Os veteranos do Aerosmith, que abriram a apresentação com “Living on the edge” e depois receberam o Run DMC para a clássica “Walk this way”.

A apresentadora de TV Ellen DeGeneres chamou ao palco a apresentação especial de Lil Nas X, lembrando da coragem do cantor ao revelar para o mundo que é gay. “Inspirou milhões ao redor do mundo”, falou a comediante.

Com os coreanos do BTS, estreantes na premiação, Billy Ray Cyrus, Diplo e outros convidados, Nas X fez uma bela versão do maior sucesso de 2019, e ainda recebeu o veterano Nas.

Com a banda The Roots, o guitarrista cantou a música que lhe deu o dois de seus três Grammys da noite, “This land is mine” (melhor música de rock e melhor performance de rock).

Para encerrar as apresentações da noite, um grupo composto por War and Treaty, Ben Platt, Common, Misty Copeland, Camila Cabello, Cyndi Lauper, Gary Clark Jr., um coral de estudantes e bailarinas fizeram uma homenagem ao produtor do Grammy, Ken Ehrlich, que se despede da premiação. Eles cantaram juntos “I Sing the Body Electric”, do filme “Fama” (1980).

Confira os vencedores nas principais categorias:

Gravação do ano

  • “Hey, Ma” – Bon Iver
  • “Bad Guy” – Billie EiIish
  • “7 Rings” – Ariana Grande
  • “Hard Place” – H.E.R
  • “Old Town Road” – Lil Nas X ft.Ray Cyrus
  • “Talk” – Khalid
  • “Truth Hurts” – Lizzo
  • “Sunflower” – Post Malone & Swae Lee

Álbum do ano

  • “I, I” – Boniver
  • “Norman F***ing Rockwell” – Lana Del Rey
  • “When We all Fall Asleep, Where Do We Go” – Billie Eilish
  • “Thank U, Next” – Ariana Grande
  • “I Used to Know Her” – H.E.R
  • “7” – Lil Nas X
  • “Cuz I Love You” – Lizzo
  • “Father on the Bride” – Vampire Weekend

Revelação

  • Black Pumas
  • Billie Eilish
  • Lil Nas X
  • Lizzo
  • Maggie Rogers
  • Rosalía
  • Tank and the Bankas
  • Yola

Melhor perfomance de rap/vocal

  • “Higher” – DJ Khaled ft. Nipsey Hussle & John Legend
  • “Drip Too Hard” – Lil Baby & Gunna
  • “Panini” – Lil Nas X
  • “Ballin” – Mustard ft. Roddy Ricch
  • “The London” – Young Thug ft. J. Cole & Travis Scott

Música do ano

  • “Always Remember Us This Way” (gravada por Lady Gaga)
  • “Bad Guy” (gravada por Billie EiIish)
  • “Bring My Flowers Now” (gravada por Tanya Tucker)
  • “Hard Place” (gravada por H.E.R)
  • “Lover” (gravada por Taylor Swift)
  • “Norman F***ing Rockwell” (gravada por Lana Del Rey)
  • “Someone You Loved” (gravada por Lewis Capaldi)
  • “Truth Hurts” (gravada por Lizzo)

Melhor álbum rap

  • “Revenge of the Dreamers III” – Dreamville
  • “Championships” – Meek Mill
  • “I am > I was” – 21 Savage
  • “Igor” – Tyler, The Creator
  • “The Lost Boy” – YBN Cordae

Melhor performance de pop solo

  • “Spirit” – Beyoncé
  • “Bad Guy” – Billie Eilish
  • “7 Rings” – Ariana Grande
  • “Truth Hurts” – Lizzo
  • “You Need to Calm Down” – Taylor Swift

Melhor álbum pop

  • “The Lion King: The Gift” – Beyoncé
  • “When We all Fall Asleep, Where Do We Go” – Billie Eilish
  • “Thank U, Next” – Ariana Grande
  • “No. 6 Collaborations Project” – Ed Sheeran
  • “Lover” – Taylor Swift

Melhor álbum pop com vocal tradicional

  • “Sì” – Andrea Bocelli
  • “Love (Deluxe Edition) – Michael Bublé
  • “Look Now” – Elvis Costello & The Imposters
  • “A Legendary Christmas” – John Legend
  • “Walls” – Barbra Streisand

Melhor performance de duo/grupo pop

  • “Boyfriend” – Ariana Grande & Social House
  • “Sucker” – Jonas Brothers
  • “Old Town Road” – Lil Nas X featuring Billy Ray Cyrus
  • “Sunflower” – Post Malone & Swae Lee
  • “Señorita” – Shawn Mendes & Camila Cabello

Melhor música de R&B

  • “Could’ve Been” – H.E.R ft. Bryson Tiller
  • “Look At Me Now” – Emily King
  • “No Guidance” – Chris Brown ft. Drake
  • “Roll Some Mo” – Lucky Daye
  • “Say So” – PJ Morton ft. JoJo

Melhor álbum de R&B

  • “1123” – BJ The Chicago Kid
  • “Painted” – Lucky Daye
  • “Ella Mai” – Ella Mai
  • “Paul” – PJ Morton
  • “Ventura” – Anderson .Paak

Melhor álbum de música urbana

  • “Apollo XXI” – Steve Lacy
  • “Cuz I love you (Deluxe)” – Lizzo
  • “Overload – Georgia Anne Muldrow
  • “Saturn” – NAO
  • “Being human in public” – Jessie Reyez

Melhor performance de R&B tradicional

  • “Time Today” – BJ The Chicago Kid
  • “Steady Love” – India.Arie
  • “Jerome” – Lizzo
  • “Real Games” – Lucky Daye
  • “Built for Love” – PJ Morton Featuring Jazmine Sullivan

Melhor performance de R&B

  • “Love Again” – Daniel Caesar & Brandy
  • “Could’ve Been” – H.E.R featuring Bryson Tiller
  • “Exactly How I Feel” – Lizzo featuring Gucci Mane
  • “Roll Some Mo” – Lucky Daye
  • “Come Home” – Anderson .Paak ft. André 3000

Melhor álbum de música alternativa

  • “U.F.O.F.” – Big Thief
  • “Assume Form” – James Blake
  • “I,I” – Bon Iver
  • “Father of the bride” – Vampire Weekend
  • “Anima” – Thom Yorke

Melhor álbum de rock

  • “Amo” – Bring Me The Horizon
  • “Social Cues” – Cage The Elephant
  • “In the end” – The Cranberries
  • “Trauma” – I Prevail
  • “Feral Roots” – Rival Sons

Melhor música de rock

  • “Fear Inoculum” – Tool
  • “Give yourself a try” – The 1975
  • “Harmony Hall” – Vampire Weekend
  • “History Repeats” – Brittany Howard
  • “This land” – Gary Clark Jr.

Melhor performance de metal

  • “Astorolus – The Great Octopus” – Candlemass Featuring Tony Iommi
  • “Humanicide” – Death Angel
  • “Bow Down” – I Prevail
  • “Unleashed” – Killswitch Engage
  • “7empest” – Tool

Melhor performance de rock

  • “Pretty Waste” – Bones UK
  • “This Land” – Gary Clark Jr.
  • “History Repeats” – Brittany Howard
  • “Woman” – Karen O & Danger Mouse
  • “Too Bad” – Rival Sons

Melhor música de rap

  • “Bad idea” – YBN Cordae ft. Chance The Rapper
  • “Gold roses” – Rick Ross ft. Drake
  • “A lot” – 21 Savage ft. J. Cole
  • “Racks in the middle” – Nipsey Hussle ft. Roddy Ricch & Hit-Boy
  • “Suge” – DaBabby

Melhor performance de rap

  • “Middle Child” – J. Cole
  • “Suge” – DaBaby
  • “Down Bad” – Dreamville ft. J.I.D, Bas, J. Cole, EARTHGANG & Young Nudy
  • “Racks in the Middle” – Nipsey Hussle ft. Roddy Ricch & Hit-Boy
  • “Clout” – Offset ft. Cardi B

Melhor clipe

  • “We’ve Got to Try” – The Chemical Brothers
  • “This Land” – Gary Clark Jr.
  • “Cellophane” – FKA Twigs
  • “Old Town Road (Official Movie) – Lil Nas X & Billy Ray Cyrus
  • “Glad He’s Gone” – Tove Lo

Melhor álbum de jazz latino

  • “Antidote” – Chick Corea & The Spanish Heart Band
  • “Sorte!: Music by JOhn Finbury” – Thalma de Freitas com Vitor Gonçalves, John Patitucci, Chico Pinheiro, Rogerio Boccato & Duduka Da Fonseca
  • “Una noche con Rubén Blades” – Jazz At Lincoln Center Orchestra com Wynton Marsalis ft. Rubén Blades
  • “Carib” – David Sánchez
  • “Sonero: The music of Ismael Rivera” – Miguel Zenón