Alguns atores e diretores criam vínculos sinceros e duradouros ao longo de suas carreiras. Esses laços, que se estreitam durante as longas horas de trabalho nos sets de filmagem, geram abertura para que muitos desses astros sintam-se confortáveis em sugerir modificações nos roteiros, ou até mesmo conquistem a liberdade de improvisar no momento em que as cenas estão sendo rodadas, transformando seu resultado final.
Ao longo da história do cinema, algumas dessas mudanças foram tão assertivas, que conseguiram se destacar como passagens marcantes de muitos filmes consagrados. Selecionamos uma lista com os improvisos do cinema que deram muito certo!

“O Johnny está aqui!” | O Iluminado
Quase todo fã de cinema é capaz de reconhecer o filme O Iluminado, estrelado por Jack Nicholson, em apenas uma imagem: a que mostramos acima. Essa passagem é, de fato, uma das mas icônicas do longa, e a frase dita pelo personagem Jack Torrance não estava no roteiro. Nicholson adicionou a fala, que na verdade era um bordão de um talk show da época, chamado The Tonight Show – e entrou para a história do cinema.

Dança da ultraviolência | Laranja Mecânica
Uma das cenas mais polêmicas e difíceis de serem rodadas do filme Laranja Mecânica foi a em que Alex (Malcolm McDowell) e seu grupo delinquente invadem uma casa para praticar o que eles chamam de ultraviolência. Mais de quatro dias se passaram, e o diretor Stanley Kubrick não ficava satisfeito com o resultado. Ele decidiu então perguntar a McDowell se o ator sabia dançar. Após a confirmação, ele lhe deu liberdade para o improviso, e foi ideia do intérprete de Alex reviver a canção Singin’ in the Rain, eternizada nos cinemas pela voz e dança de Gene Kelly. O diretor correu para garantir os direitos de exibir a música no filme, e a cena foi incluída no corte final.

“Eu sei” | Star Wars V – O Império Contra-ataca
Harrison Ford parece ser um mestre do improviso de Hollywood. Ele foi o responsável pela resposta clássica dada a Leia Organa (Carrie Fisher) após sua declaração de amor. No roteiro, Han Solo retribuiria o “eu te amo” da princesa com um simples “eu também”, mas o ator sugeriu a réplica mais durona, alegando ter tudo a ver com seu personagem. Ele tinha razão, e a cena se tornou uma das mais marcantes de toda a saga Star Wars.

Luta resumida | Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida
É surpreendente e engraçada a cena em que o arqueólogo, vivido por Harrison Ford, é encurralado por um espadachim amedrontador, que faz malabarismos com sua espada, convidando-o para o combate. O script previa uma longa sequência de luta entre os dois, mas o intérprete de Indiana Jones fez a proposta de acabar com o embate usando uma arma de fogo. Reza a lenda que o diretor Steven Spielberg não ficou muito feliz, mas acabou aceitando porque Harrison Ford estava bastante indisposto no dia, por conta de uma intoxicação alimentar.

O Gato | O Poderoso Chefão
Um figurante de respeito! O gato que Don Corleone (Marlon Brando) acaricia durante um de seus clássicos discursos, onde ele conversa com um homem que clama por justiça para sua filha, não estava nos planos do diretor. Alguns relatos descrevem que o cineasta Francis Ford Coppola colocou o gato no colo do ator minutos antes da cena começar, e outros dizem que o próprio Marlon Brando encontrou o bichano pelo set e resolveu inseri-lo na história. O que temos certeza é que o animal deu um toque especial à passagem, deixando a cena ainda mais impactante.

Colar de presente | Uma Linda Mulher
Vivian (Julia Roberts) entra deslumbrante, em seu clássico vestido vermelho, e Edward (Richard Gere) diz a ela que “alguma coisa está faltando”. A moça fica confusa, então seu par romântico lhe oferece um lindo colar para compor seu visual, dentro de uma caixa de joias. Aí é onde mora o improviso: quando a atriz estende a mão para pegar o colar, Richard Gere fecha a tampa rapidamente, em um ato que não foi combinado ou previsto. O susto de Julia Roberts é genuíno, e a passagem acabou rendendo uma das gargalhadas mais famosas (e realistas) do cinema.