Cole Sprouse, o Jughead de Riverdale, revelou em seu Instagram que foi preso durante uma manifestação pelo movimento antirracista #BlackLivesMatter (vidas negras importam, em inglês). Segundo o relato do ator, ele foi a um protesto que estava pacífico até a chegada da polícia, que ordenou que os presentes se retirassem, sob ameaça de prisão.

Em seu depoimento, Sprouse afirma que aqueles que acataram as ordens e se viraram para deixar o perímetro encontraram outro grupo de policiais e foram algemados com lacres semelhantes aos distribuídos em aeroportos – confira o depoimento completo:

Ver essa foto no Instagram

A group of peaceful protesters, myself included, were arrested yesterday in Santa Monica. So before the voracious horde of media sensationalism decides to somehow turn it about me, there’s a clear need to speak about the circumstances: Black Lives Matter. Peace, riots, looting, are an absolutely legitimate form of protest. the media is by nature only going to show the most sensational, which only proves a long standing racist agenda. I was detained when standing in solidarity, as were many of the final vanguard within Santa Monica. We were given the option to leave, and were informed that if we did not retreat, we would be arrested. When many did turn to leave, we found another line of police officers blocking our route, at which point, they started zip tying us. It needs to be stated that as a straight white man, and a public figure, the institutional consequences of my detainment are nothing in comparison to others within the movement. This is ABSOLUTELY not a narrative about me, and I hope the media doesn’t make it such. This is, and will be, a time about standing ground near others as a situation escalates, providing educated support, demonstrating and doing the right thing. This is precisely the time to contemplate what it means to stand as an ally. I hope others in my position do as well. I noticed that there are cameras that roll within the police cruisers during the entirety of our detainment, hope it helps. I’ll speak no more on the subject, as I’m (1) not well versed enough to do so, (2) not the subject of the movement, and (3) uninterested in drawing attention away from the leaders of the #BLM movement. I will be, again, posting the link in my story to a comprehensive document for donations and support.

Uma publicação compartilhada por Cole Sprouse (@colesprouse) em

Um grupo de manifestantes pacíficos, eu incluso, foi preso ontem [31 de maio] em Santa Mônica [Califórnia]. Então, antes que a horda faminta da mídia sensacionalista decida transformar isso em uma manchete sobre mim, vamos deixar as circunstâncias claras: Vidas Negras Importam. Paz, tumultos e saques são formas absolutamente legitimas de protesto. A mídia, naturalmente, só mostrará a parte mais impressionante, comprovando a agenda racista. Eu fui preso ao me juntar por solidariedade, assim como muitos membros da vanguarda de Santa Mônica. Nos deram a opção de partir e deixaram claro que, se não recuássemos, seríamos detidos. Quando muitos se viraram para sair, encontramos outra linha de policiais bloqueando o caminho e então, começaram a nos algemar com lacres. Precisa ser dito que, como um heterossexual branco e figura pública, as consequências do meu encarceramento não são nada comparadas às de outros membros deste movimento. Essa narrativa DEFINITIVAMENTE NÃO É sobre mim e eu espero que a mídia não a represente deste jeito. Este é, e sempre será, o momento de ficar perto dos outros enquanto a situação piora para mostrar apoio e fazer a coisa certa. Esse é o momento de contemplar o significado de ser um aliado. Espero que outros na minha posição façam o mesmo. Percebi que câmeras filmavam durante a operação que nos prendeu. Espero que elas ajudem [os outros]. Não falarei mais nada sobre isso porque (1) não sei o bastante no assunto para fazê-lo, (2) não sou o sujeito do movimento, (3) não tenho interesse em afastar os holofotes dos líderes do Black Lives Matter. Postarei novamente um link nos meus stories com um documento compreensível para doações e auxílio”.

Em 25 de maio de 2020, Floyd, já sob custódia foi sufocado até a morte pelo oficial com o joelho e o assassinato foi filmado por pessoas em volta. A brutalidade da ação gerou uma onda de protestos ao redor do país e diversas empresas do ramo do entretenimento repudiaram o racismo demonstrado pela polícia.