Recentemente Robert Kirkman, o escritor de The Walking Dead, falou sobre sua péssima experiência junto a Marvel em entrevista para o ComicTropes. Kirkman ficou na Marvel no período de 2004 a 2010.

O escritor já havia começado seu trabalho em The Walking Dead e foi chamado para a Casa das Ideias, onde assumiu títulos como Zumbis Marvel Ultimate X-Men. Na entrevista, ele disse que sempre teve choques criativos com os editores da empresa:

“Por que você colocou um balão de fala na capa da minha HQ sem me dizer ou me pedir, ou sem me deixar escrever o diálogo? Ou, eu não sei, me deixar fazer o balão de fala?” Tipo, “Esse é um balão de fala feito, eu não gosto desse diálogo, eu teria tomado um tempo para fazer isso do jeito certo. Eu não sei por que vocês não me deixaram fazer isso”.

Kirkman o editor-chefe Joe Quesada, tiveram uma desavença tão forte que a Marvel parou de promover muitas de suas HQs, que foram consideradas pouco lucrativas. Apesar disso, ele admite que sempre foi realista a respeito de seu alcance, enquanto trabalhou com a Marvel:

“Chegou ao ponto de não promoverem algumas HQs minhas. Alegavam que eram de ‘baixo nível’, e existe um orçamento para o marketing. Isso só faz sentido se os quadrinhos vão dar lucro. E há outra coisa: eu estava sendo completamente realístico sobre o meu alcance – ou falta disso – na Marvel, quando eu estava lá.”

Kirkman comparou o trabalho na Marvel, dizendo que, era “muito restritivo“, ao trabalho na Image Comics, editora que publicou originalmente The Walking Dead e outros títulos do escritor. De acordo com ele, muitos editores viam seu cuidado com as HQs como uma espécie de arrogância, e isso causava conflitos constantemente:

“Você quer que eu escreva essas HQs e tente não vendê-las? Eu não entendo. Veja, o ponto é que eu era um escritor auto-publicado que tinha ido trabalhar na Image, e a Image é um ambiente muito livre. Se você já publicou algo por conta própria, a Image é o melhor lugar para se estar, porque você é capaz de fazer tudo. Então, quando eu fui para a Marvel, era tipo: ‘Eu não posso fazer nada disso. Estou tentando tomar conta das coisas. Estou tentando ajudar’. E isso não foi uma boa ideia. Eles entenderam isso como arrogância. Como se eu estivesse dizendo: ‘Eu sou melhor que eles e posso fazer isso’. Não, eu só ligo para as HQs, muito mais que muitos escritores ligam. Eu ligo para todos os aspectos de um quadrinho.”

Para finalizar, Kirkman relembra do grande atrito que teve com Joe Quesada. Na época, ele estava escrevendo Ultimate X-Men e havia um grande evento envolvendo os Filhos do Átomo e o Homem-Aranha. Ele conta que a editora queria forçá-lo a escrever uma cena muito importante do Noturno, mas que seria compilada em um encadernado do Homem-Aranha, o que forçaria os leitores de Ultimate X-Men a comprarem as revistas de outro herói.

Ele explica que, ao confrontar Quesada sobre isso, o editor tomou uma linha defensiva e disse que ele só estava se preocupando com o dinheiro. Ainda assim, ele admite que nunca fez um bom lucro na Marvel, ao contrário de seu trabalho na Image, com títulos como Invincible e o já mencionado The Walking Dead:

“Como roteirista, se você está escrevendo Ultimate War, você não vai escrever uma história muito importante do Homem-Aranha que é integral para a continuidade e que vai estar faltando quando você ler os encadernados do Homem-Aranha. E quando você está escrevendo Ultimate Six, você não vai fazer uma cena gigante dos X-Men que vai estar faltando nos encadernados dos X-Men. Então, estávamos planejando um evento do Universo Ultimate e eu disse: ‘Isso vai ser um evento dos X-Men, vai ter o Homem-Aranha. Como isso vai se encaixar?’ Então eu sei que teremos uma grande história com o Noturno, eu não vou tocar nesse evento, porque esse evento será reunido nos encadernados do Homem-Aranha. É uma questão básica, eu acho. E então Joe Quesada me manda um e-mail dizendo: ‘Por que você não se preocupa com a história antes de se preocupar com os seus royalties dos X-Men? Quem liga para onde uma história é encadernada e quem está pegando os royalties dessa história? Por que você não foca na escrita, o que há de errado com você?’ E a minha resposta, eu não acho que disse exatamente isso, mas a minha resposta foi: ‘Eu estou ganhando centavos por vocês, seus babacas. Eu estou fazendo muito dinheiro, no momento, com Invincible e The Walking Dead, as minhas histórias estão indo bem. Eu estou ganhando migalhas aqui na Marvel e sou tratado feito lixo, e reclamam comigo o tempo inteiro por tentar colocar um nível extra de cuidado nos quadrinhos. E chegamos a isso: Eu acho que eles ficaram magoados com o fato de que eu não precisava deles, e isso era um problema constante.”

A Marvel não se pronunciou até o momento. Joe Quesada não é mais o editor-chefe da Casa das Ideias. Kirkman não é o único roteirista que fala sobre conflitos.