Ray Fisher acusa novamente a Warner Bros. de fazer anúncios para desviar a atenção de suas denúncias contra o diretor Joss Whedon e dos produtores Geoff Johns e Jon Berg, de conduta abusivano set de Liga da Justiça. Jason Momoa apontou que o anúncio de sua escalação no live-action de Frosty: O Boneco de Neve foi com esse intuito.

Fisher publicou em seu Twitter que a revelação do retorno de Ben Affleck ao papel de Batman, no filme solo do Flash “claramente deveria acontecer no DC FanDome”, mas foi adiantada para o dia em que foi revelado que a empresa abriu uma investigação sobre os problemas nas gravações do longa. Confira abaixo:

“Infelizmente o anúncio falso do Frosty não foi a única tática de relações públicas usada para distrair da séria situação de Liga da Justiça. O retorno de Ben como Batman claramente deveria ser revelada no DC FanDome. Dou a vocês uma chance para adivinhar o motivo de a Warner Bros. ter queimado a largada”.

Entenda o caso

Whedon foi acusado de postura abusiva no set de Liga da Justiça, filme da DC de 2017 no qual entrou para o posto de diretor após a saída de Zack Snyder. Segundo as primeiras falas de Fisher, “o tratamento que Joss Whedon deu ao elenco e à equipe no set de Liga da Justiça foi nojento, abusivo, antiprofissional e completamente inaceitável.

Mais tarde, o diretor Kevin Smith afirmou ter ouvido relatos que dão força ao argumento de Fisher. Depois, as dublês de Buffy, A Caça-Vampiros – série criada por Whedon – acusaram o criador de ser egomaníacos.

Por causa do suicídio de sua filha, Zack Snyder abandonou Liga da Justiça em 2016. Joss Whedon assumiu as filmagens depois da saída, mas a reação negativa em torno do filme estimulou os rumores em torno da versão original do longa, já que muito material planejado pelo cineasta não entrou na versão final. Após muito tempo, a Warner confirmou o lançamento do Snyder Cut para 2021 no HBO Max, streaming do grupo Time Warner.